Psicólogo Pessoa Física ou Jurídica: Qual Melhor Regime de Tributação?

Compartilhe via:

Psicólogo Pessoa Física ou Jurídica? Em qual desses regimes de tributação eu vou pagar menos impostos? Qual o melhor? Como Escolher?  Se você está começando agora provavelmente se familiarizou com uma ou todas essas perguntas. Entretanto, não se desespere, pois vamos responder essas e mais algumas outras dúvidas bem comuns entre os profissionais que desejam montar um consultório de psicologia.

Tributação para Psicólogos Pessoa Física ou Jurídica

Sabemos que o Brasil possuí uma das maiores cargas tributárias de todo o mundo, o que dificulta ainda mais a vida do empreendedor, principalmente aqueles que estão começando agora. Por isso é de suma importância definir corretamente como desenvolver suas atividades profissionais dentro da lei para evitar multas ou até mesmo em casos mais graves perder o direito de exercer suas atividades como psicólogo(a).

Entendendo a importância de definir o modelo de tributação para psicólogos (Pessoa Física ou Jurídica), podemos afirmar que essa responsabilidade deve ser desenvolvida por quem realmente entende do assunto. Nós da Rodrigues Contabilidade somos especialistas quando o assunto é contabilidade para psicólogos e consultórios de psicologia.

Devemos ressaltar que cada caso deve ser tratado exclusivamente e cuidadosamente, isto é, não existe um regime tributário padrão para o segmento. Antes de definir o modelo de tributação para o psicólogo(a), será necessário analisar antecipadamente uma série de fatores como: faturamento médio mensal/anual, número de funcionário, tipos de atividades desenvolvidas no consultório, entre outros detalhes específicos que variam bastante de acordo com cada profissional.

Para esclarecer um pouco mais a importância do profissional de contabilidade na hora de decidir se irá desenvolver suas atividades como Pessoa Física ou Jurídica, vamos detalhar a seguir todas as formas legais de se atuar como psicólogo e ainda ter uma média de valores com impostos e obrigações em cada uma delas.

Tributação de Psicólogo Pessoa Física

Na vida podemos acreditar em duas verdades absolutas: a morte e impostos. Entretanto, a única delas que não tem solução é a morte!

O psicólogo que pretende atuar como Pessoa Física,  assim como qualquer outra cidadão, estão obrigados a declarar impostos. Saiba que ao optar em desenvolver suas atividades como autônomo, o profissional irá se deparar com percentuais bem elevados. Começando com com o INSS, a porcentagem média fica em torno de 20%, além do IRPF que pode chegar a 27,5% sobre o seu faturamento faturamento.

Isso quer dizer que terá que pagar 47,5% do rendimento, somente com impostos sendo psicólogo Pessoa Física? Não! Esses valores são apenas bases e podem variar de acordo com o seu rendimento mensal/anual. No mais, saiba que como autônomo é possível que os valores totais de impostos cheguem até 30% sobre o seu rendimento.

Psicólogo pode ser MEI?

Microempreendedor Individual (MEI) foi criado no Brasil para que os trabalhadores informais estejam dentro da legalidade e principalmente para provar que o trabalho formal é muito mais vantajoso do que trabalho informal.

Por regra geral, podem se cadastrar no MEI os profissionais autônomos e micro empresários que tenham rendimento anual máximo de R$ 81.000,00 (R$6.750,00 reais por mês), não podendo ter participação em outra empresa como sócio ou titular e possuir, no máximo, um empregado com salário limitado ao mínimo vigente ou o piso da categoria.

Porém,  as profissões regulamentadas, onde o profissional poderá exercê-las, como formação técnica, cursos superiores, diplomas específicos, entre outras exigências acadêmicas, não podem aderir a este modelo de empresa. Sendo assim os psicólogos não podem ser MEI.

Psicólogos Pessoa Jurídica

Por outro lado o psicólogo que optar ser Pessoa Jurídica, tem acesso a uma série de vantagens no que se refere a tributação. Após se inscrever no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), o profissional tem a opção de escolher 3 tipos de regimes tributários, sendo eles:

  • Simples Nacional;
  • Lucro Presumido.
  • Lucro Real;

Vale ressaltar que escolher o tipo de tributação para psicólogos Pessoa Jurídica irá afetar diretamente as alíquotas e obrigações que a empresa terá que prestar ao Governo Federal, Estadual Municipal, entre outras entidades particulares como o Conselho Regional de Psicologia (CRP) por exemplo.

Dessa forma, conte com a assessoria de uma contabilidade especializada em psicólogos para determinar qual a melhor opção de acordo com o seu perfil. Veja agora a seguir como a sua empresa pode se enquadrar com o CNPJ:]

Psicologo Pessoa Jurídica no Simples Nacional

Nesse regime tributário, os percentuais podem variar dependendo do seu faturamento nos últimos 12 meses, sua folha de pagamento e ainda tem a inserção do fator R, que pode alterar sua tributação pelo Anexo III ou Anexo V da Lei Complementar n°123/06. A grande vantagem deste regime é a simplicidade (como o próprio nome já diz) em recolher os impostos por meio de um único documento de arrecadação, com alíquotas que podem variar de 6% a 33% para psicológos que tenham faturamento de até R$ 4.8 milhões nos últimos 12 meses.

Psicologo Pessoa Jurídica no Simples no Lucro Presumido

Nele o recolhimento dos impostos é feito de forma distinta, onde as alíquotas do PIS (0,65%) e COFINS (3%) são recolhidas mensalmente, o IRPJ (15%) e CSLL (9%) são colhidos trimestralmente, sobre a presunção de lucro de 32% referente a prestação de serviços. Com um limite anual de faturamento de R$ 78 milhões.

Psicologo Pessoa Jurídica no Simples no Lucro Real

Muito semelhante ao Lucro Presumido, no entanto, a apuração dos seus rendimentos e despesas é feita de forma que seu lucro líquido gere deduções que compensam as maiores alíquotas do PIS (1,65%) e COFINS (7,60%), que não são cumulativas. O IRPJ (15%) e a CSLL (9%) permanecem com as mesmas alíquotas.

Além disso, contar com processos contábeis segmentados à sua rotina de trabalho agrega vantagens que vão além de deixar os números na mão de quem sabe lidar com eles, você se torna capaz de focar em seu trabalho como dentista e gestor da clínica com muito mais segurança e eficiência!

Qual Desses é o Melhor Regime de Tributação para Psicólogos?

Como já falamos anteriormente, definir a tributação ideal para psicólogos é um assunto extremamente delicado e pode variar de acordo com o perfil de cada empresa e empresário. Dessa maneira é indispensável consultar uma contabilidade especializada.

Fale conosco da Rodrigues Contabilidade e solicite um orçamento sem compromisso para saber qual a melhor maneira de desenvolver suas atividades legalmente, não pagar impostos indevidos e cumprir com todas as obrigações fiscais, contábeis e trabalhistas.

Comente via Facebook
Compartilhe via:


Deixe uma resposta